segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Ô minha filha...

Ô minha filha, 
as suas dores não são 
as maiores do mundo 
e nem vão ser. 
Sacode a poeira. 
Toma um banho de rio. 
Abre essas asas. 
Grita alto, chora baixo. 
Pula alto e cai de cara. 
Desenha toda a beleza do mundo. 
Compra uma caixa de lápis de cor 
e sai aí colorindo a vida.
Tati Bernardi