quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Ameixa brava

Ameixa brava, (Ximenia Americana)

A ameixa brava é também conhecida no meio popular por ameixa da praia, ameixa do mato, sândalo do Brasil, umbu bravo, ameixa de espinho, entre outros. Este último nome tem origem nas características da planta que é um arbusto bastante espinhoso que pode alcançar uma altura média de 4 metros, suas folhas também portam espinhos, menores, que agem como auxiliares, e as flores em tom amarelado exalam um aroma agradável, o que a torna útil para o ramo de perfumaria e cosméticos.


Os frutos de casca lisa e amarelada são comestíveis, mas de sabor nada agradável, as ameixas de cor meio amarelada, meio alaranjada e, das suas sementes, é possível extrair um óleo bastante utilizado na área de cosmética.

Sua origem vem de diversas partes do mundo, não se sabe ao certo onde nem quando esta fruta começou a ser cultivada. Ela vem de regiões litorâneas da África, América Central e América do Sul de países como: Equador, Bolívia, Argentina, Brasil, Paraguai e Colômbia.

A ameixa brava além de poder ser consumida ao natural e fazer um bem enorme para a nossa saúde, ainda pode ser transformada em chá cujos benefícios vão desde a cicatrização a doenças cardíacas. O chá possui as seguintes propriedades:

-Cicatrizantes
-Regulador intestinal
-Tônico para os rins e coração
-Anti inflamatório

Fazer a infusão de ameixa brava é simples, você precisará de 3 colheres de chá da entrecasca da ameixa para cada litro de água. Para o processo não há mistério, basta misturar bem a erva em água morna e consumi-lo após devidamente coado.

Modo de uso:

Uso externo: Para uso externo aplique o chá da ameixa brava sobre úlceras e feridas.
Uso interno: Já para o uso interno as propriedades da ameixa agem como remédio para problemas renais e do coração.
Para o uso interno a dose indicada é de 3 a 4 vezes ao dia, mas sem muito exagero para que o chá não venha a causar efeitos contrários. Contudo, para o uso externo basta aplica-lo em temperatura ainda morna sobre a área afetada.

Atenção:
Antes de iniciar qualquer tratamento fitoterápico procure o seu médico para melhores informações.